Rock news

Notícias do mundo do Rock.
23 agosto 2017

Steve Harris pensa em transformar mansão em hotel para os fãs

Steve Harris disse que gostaria de transformar sua residência na Inglaterra em uma espécie de boutique hotel para fãs do Iron Maiden. O baixista está há cinco anos tentando vender a propriedade de oito quartos em Essex, que inicialmente foi à venda por US$8,71 milhões de dólares, teve seu preço reduzido para US$7,55 milhões em 2013, para US$6,39 milhões em 2015 e agora em 2016 caiu para US$5,10 milhões.

“Pra começar, foi um pouco louco, pois quando coloquei à venda pela primeira vez, não tinha certeza absoluta que queria vender”, contou Harris à rádio sueca Bandit Rock. “Pois eu estava (morando) fora, e pensei: ‘Bem, eu não tenho certeza absoluta se quero ficar fora, então coloquei a um preço salgado e pensei que se alguém quisesse pagar tudo isto seria bem vindo. Mas desde então eu baixei o preço, na verdade está um valor bem razoável hoje”.

Veja no vídeo abaixo como é a mansão de Steve Harris que está à venda:

Partindo do princípio que não consiga vender ao preço que está sendo pedido, Harris vislumbra um plano B: “Em um mundo ideal, eu gostaria de transformar em um hotel boutique, e eu acho que os fãs do Iron Maiden gostaria de ir até lá”, contou. “Quero dizer, eu tinha um pequeno bar em Portugal – chamado Eddie’s Bar – que não existe mais, fechou há alguns anos. Mas as pessoas vinham de todo o mundo para visitar aquele pequeno bar, e acho que fariam a mesma coisa com a casa. Pois gravamos alguns discos por lá, no estúdio – ‘Fear of the Dark’ foi gravado lá e também algumas outras coisas – e há muita memorabilia e coisas assim por lá. Então… eu não sei. Seria um plano legal. Um hotel boutique… isto quer dizer que eu ainda poderia ficar por lá também, o que seria ótimo. Seria um mundo ideal pra mim realmente. Sim, seria bom”.

Harris, que ganhou as manchetes em 2013 quando mais de 8 mil dólares de bens e eletrônicos foram furtados de sua propriedade nas Bahamas, revela que ele vêm vivendo na ex-colônia britânica “pelos últimos dez anos. Minha filha mais nova ainda está na escola lá”, ele conta. “Ela ainda vai passar quatro anos na escola, então ainda moraremos pelo menos quatro anos por lá, até ela concluir os estudos, daí vamos ver o que acontece depois disto. E há também outro problema – eu tive muitos problemas com as costas, e achei que ir pra um lugar mais quente seria melhor, e na verdade fez uma grande diferença.

Quanto à sua decisão de se mudar pras Bahamas, Harris explica: “Eu cheguei aos cinquenta (anos). Estava correndo em um campo de futebol enquanto congelava, estava úmido e chuvoso e pensei ‘Quer saber? Cansei disto. Acho que passei 50 anos de minha vida com esta temperatura horrível, estou fora’. Esta foi uma das razões, além de algumas outras. Mas apenas pensei ‘Já deu, de fato’. Mas realmente ajudou com as minhas costas e melhorou tudo, definitivamente”.

Harris continua: “Sempre quis viver (nas Bahamas), realmente, pois fizemos álbuns no início dos anos oitenta nos estúdios Compass Point – fizemos três discos lá, fizemos ‘Piece Of Mind’, ‘Powerslave’ e ‘Somewhere In Time’. E há alguns poucos anos também fizemos o ‘The Final Frontier’ ali… foi ótimo voltar (para a gravação do ‘The Final Frontier’). Foi bom pra mim, pois vivia na rua um pouco mais abaixo – minha casa está a cinco minutos do estúdio, então os dias eram perfeitos pra mim. Tivemos muitos bons momentos ali. Já na primeira vez que estive ali em 1983 eu pensei ‘Um dia gostaria de morar aqui’. Eu realmente tive uma grande impressão sobre o lugar, as pessoas e tudo mais. Então eu pensei ‘Um dia eu irei pra lá’, e foi o que fiz”.

Fonte: Bruce William – Whiplash! – Blabbermouth

WhatsApp chat